• EN
  • Ajuda Contextual
  • Imprimir
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • LinkedIn
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > GS1204

Animação Sócio-Cultural II: Recurso para o Desenvolvimento...


Código: GS1204    Sigla: ASC2

Ocorrência: 2019/20 - 2S

Área de Ensino: Gerontologia Aplicada

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
LGS 10 Despacho 6311/08 de 05 de Março 4 ECTS

Horas Efetivamente Lecionadas

TURMA2

Teóricas: 0,00
Laboratoriais: 0,00

TURMA1

Teóricas: 14,00
Laboratoriais: 28,00

Docência - Horas

Teóricas: 1,00
Laboratoriais: 2,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teóricas Totais 1 1,00
Elsa Montenegro Moreira Marques   1,00
Laboratoriais Totais 1 2,00
Elsa Montenegro Moreira Marques   2,00

Língua de Ensino

Português

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

1. Transmitir conhecimentos teóricos sobre a questão do desenvolvimento social e comunitário e sobre o processo de intervenção comunitária. 2. Promover nos estudantes a capacidade para diagnosticarem necessidades e problemas do colectivo das pessoas seniores, numa determinada comunidade, as possibilidades de intervenção e sua avaliação. 3. Dar a conhecer instrumentos e projectos de animação sociocultural (ASC) para seniores, como meios para o desenvolvimento social e comunitário. Competências. Pretende-se que os estudantes sejam capazes de: 1. Relacionar os objectivos da ASC para seniores, com o desenvolvimento social e comunitário. 2. Intervir na comunidade, através do processo de diagnóstico, intervenção e avaliação. 3. Reconhecer as estratégias e os projectos que existem de ASC para idosos, como processos de desenvolvimento social e comunitário.

Programa

1.Desenvolvimento social e comunitário. 1.1. Conceitos base: desenvolvimento, comunidade, organização comunitária. 2. A associação, o actor colectivo e a organização comunitária. 2.1. A educação para o desenvolvimento; identidade cultural e sentimento de comunidade; intra e a interculturalidade. 2.2 A participação como princípio basilar do desenvolvimento comunitário 2.3. Empowerment e advocacy 3. A intervenção social comunitária 3.1. Princípios e principais elementos em jogo no processo de intervenção comunitária 3.2. Os seniores como recurso para o desenvolvimento social e comunitário. 4.Etapas de construção de um projecto de intervenção 4.1. Diagnóstico 4.2. Elaboração do plano de ação 4.3. Realização da intervenção 4.4. Avaliação da intervenção. 5. A animação sociocultural para seniores e o desenvolvimento social e comunitário.

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos da UC

Os conteúdos programáticos vão ao encontro dos principais objetivos da UC: o ponto 1 e 2 do programa procura concretizar o primeiro objetivo enunciado. Os conteúdos programáticos expressos nos pontos 3 e 4 do Programa são coerentes com os objetivos 2 e 3 da UC.

Bibliografia Principal

Tonnies, F. ;«El nacimiento de mis conceptos de “comunidad” y “sociedad”», Sociológica, n.º 1. , 1986 . Site Web: http://www.catedras.fsoc.uba.ar/elias/tonnies.pdf
Sen, A. (2003) ;O Desenvolvimento como Liberdade, Lisboa: Gradiva
Serrano, G.P. (2008);Elaboração de projectos sociais. Casos práticos, Porto: Porto Editora.
Berne, A.L., Aran, A., Martínez, X.U. (2009);La Acción Comunitaria, barcelona: Graó
Viana, J.F.S. ;Porto: Cidade Amiga das Pessoas Idosas: Um estudo centrado na perspectiva de idosos das freguesias de Miragaia e Vitória. , http://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/779/1/DM_JoaoViana_2010.pdf, 2010
Carmo, H. (1999);Desenvolvimento Comunitário, Lisboa:Universidade Aberta
Carvalhosa, S., Domingos, A., Sequeira, C. ;“Modelo lógico de um programa de intervenção comunitária – GerAcções”, Análise psicológica (2010), 3 (XXVIII): 479-490 em http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000300008.
Trilla, J. (coord.) ;Animação sociocultural. Teorias, programas, âmbitos., Lisboa: Instituto Piaget., 2004
WHO;Guia Global das Cidades Amigas das Pessoas Idosas, http://www.gulbenkian.pt/images/mediaRep/institucional/FTP_files/pdfs/PGDesenvolvimentoHumano/ProjIdosos_GuiaCidades2009.pdf, 2007
Allegrini, G.O.;Desarrollo local, educación e identidad cultural, http://centauro.cmq.edu.mx/dav/libela/pdfS/educac/080102050.pdf, 2003

Observações Bibliográficas

No decorrer das aulas, poderão ser indicadas outras obras.

Métodos de Ensino

1. Utilizam-se aulas expositivas para transmitir os conhecimentos teóricos mais relevantes nesta área. 2. Utilizam-se aulas práticas com leitura e discussão de textos e de análise de projectos concretos de ASC como recurso para o desenvolvimento social e comunitário para que os estudantes possam reflectir sobre essas práticas à luz dos conhecimentos teóricos.


Modo de Avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Avaliação Contínua

De acordo com as regras do RAC, os alunos podem optar por uma das seguintes modalidades de avaliação:
1. AVALIAÇÃO DISTRIBUÍDA. Esta modalidade contempla: a) um trabalho prático realizado, preferencialmente em grupo (máximo 3 alunos): projeto de intervenção (real ou fictício). O trabalho tem uma ponderação de 60% na nota final.
2) apresentação oral, individual ou em grupo (máximo 3 alunos), sobre o projeto de intervenção com seniores. A apresentação oral tem uma ponderação de 40% na nota final.


2.EXAME FINAL (Artigo 12º do Regulamento de Avaliação de Conhecimentos) que consistirá na realização de um exame escrito individual.
Note Bem: Para que o aluno se possa manter na avaliação distribuída deverá assistir a 75% do número total de aulas (Ponto 7 do Artigo 11º do Regulamento de Avaliação de Conhecimentos). Os alunos abrangidos pelos Regulamentos Especiais, mesmo que não consigam assistir a 75% das aulas, poderão manter-se nesta modalidade de avaliação desde que combinem um Plano de Acompanhamento com o docente conforme previsto no Ponto 8 do Artigo 11º do Regulamento de Avaliação de Conhecimentos.

Avaliação Final

Trabalho prático - 60% Apresentação oral - 40% OU Exame final - 100%

Provas e Trabalhos Especiais

Não aplicável.

Avaliação Especial (TE, DA, ...)

Não aplicável.

Melhoria de Classificação Final/Distribuída

Conforme Regulamento de Avaliação de Conhecimentos.

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

A metodologia de ensino vai ao encontro dos objetivos de aprendizagem da UC, pois alia aulas expositivas e de transmissão de conhecimentos essenciais para a elaboração de projetos de intervenção e animação sociocultural junto de idosos em situação de maior vulnerabilidade, com aulas práticas de discussão de projetos de intervenção reais, dinamização de discussões coletivas sobre os conteúdos trabalhados e técnicas grupais de animação socio-cultural.

ADENDA (Período Covid 19): A metodologia de ensino utilizada manteve-se. Além das aulas de caráter expositivo, intensificaram-se os momentos de discussão de casos práticos e de apresentação de projetos de intervenção concretos destinados a satisfazer necessidades da população idosa.